Museu Meio Ambiente MUMA

Cliente
Jardim Botânico RJ
Ano
2009
Status
Concluído

GALERIA

 

OBJETIVOS

O concurso foi promovido pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro / Ministério do Meio Ambiente e organizado pelo IAB-RJ.

Nossa proposta compreende a dimensão da iniciativa tomada por parte da JBRJ e tem com premissa a concepção de um espaço que amplia a valoração do Museu do Meio Ambiente dentro do Jardim Botânico através da configuração de um “novo lugar” ao seu redor. Propomos a criação de um recinto cujo piso está a 1.35 metros abaixo do nível original do jardim, chamamos este lugar de Pátio do Museu. Neste recinto, está a entrada do museu, a loja, a bilheteria, o guarda volumes, um jardim e o café que permanece no seu lugar original, mas cujo piso interno pode – pelo rebaixamento proposto -se estender por todo o pátio.

A volumetria do edifício novo prioriza as visuais do passeio entre a Praça do “lago das tartarugas”, o Arboretto, e o museu existente. A partir deste eixo criamos volumes de concreto autônomos, separados por fendas de luz. Tais volumes onde estão as áreas expositivas são conectados por passarelas e escadas metálicas – abertas – cuja seqüência cria um percurso contínuo capaz de vincular os programas do edifício novo com o existente. A seqüência expositiva proposta obriga o expectador a sair de um compartimento antes de entrar em outro, criando uma situação de pausa entre duas salas. Um momento de reflexão ativada pelo contraste sensorial entre os ambientes interno e externo que move outros sentidos da percepção: tátil, olfativo e auditivo.

No centro deste caminho – no primeiro pavimento – colocamos a sala de mídia, em um recinto de vidro, que se liga por meio de uma passarela coberta às salas dos pesquisadores no edifício existente. Esta localização nos pareceu estratégica no sentido de valorizar a interlocução da produção científica e a produção de conteúdos e imagens que alimentam as exposições, de forma dinâmica e ágil.

No segundo pavimento, fizemos um terraço aberto, generoso, que possui um avanço para fora da projeção do edifício em direção à copa das árvores. Este lugar, cria um momento de descanso e contemplação deste percurso. O terraço se estende em direção ao edifício existente por meio de uma passarela descoberta, em direção às salas de exposições temporárias do edifício existente concluindo o percurso. Depois deste momento o expectador desce as escadarias e chega ao saguão central do edifício histórico onde sugerimos a exposição de uma maquete geral do Jardim Botânico, e a implementação de uma midiateca.

 

PARCEIROS

2009

Arquitetos:

Ana Paula Pontes
Anderson Freitas
Catherine Otondo – BASE URBANA
Cesar Shundi Iwamizu
Jorge Pessoa – PESSOA ARQUITETOS
Marina Grinover – BASE URBANA
Francesco Perrotta Bosch
Regis Sugaya

Equipe:

Julie Trickett
Julio Cecchini
Luis Rodrigues