Museu Diversidade Sexual

Cliente
CONDEPHAAT
Ano
2014
Status
Concluído

GALERIA

 

OBJETIVOS

 

A proposta arquitetônica para o Museu da Diversidade Sexual na av. Paulista tem como premissa a leitura urbana do Casarão da Paulista 1919, elegendo as virtudes de sua localização geográfica e histórica. A av. Paulista é hoje o lugar singular onde a diversidade sociocultural da cidade se manifesta. Suas largas calçadas são um exemplo virtuoso de espaço público, ali as mais variadas parcelas da população se apropriam do espaço, em diversas formas de uso, constituindo um cotidiano animado e democrático.
A avenida também é palco das manifestações políticas, culturais, e celebrações específicas tais como o Réveillon da cidade e a Parada Gay, imprimindo um significado em nossa história que nos aproxima da identidade de ser paulista. Sua história reforça o empreendedorismo paulistano e o Casarão é um dos últimos representantes de uma elite provinciana que decide ocupar a cidade investindo no progresso urbano.
O projeto para o Museu da Diversidade Sexual apresenta em sua arquitetura a ideia de expandir estes significados do lugar, aproveitando a implantação do museu como uma oportunidade de inclusão social e urbana; contem o gesto de abrir a casa ao público e conectar o patrimônio edificado ao dia a dia da avenida.
Do ponto de vista paisagístico o lugar do casarão é um respiro, um conjunto arborizado contíguo ao Parque Mário Covas que, somado ao Parque Trianon, são a massa arbórea que contrasta com a predominância da densidade de construções da região . Pelo porte do arvoredo, o ambiente tem qualidade de bosque, pois, como as copas das árvores são altas, a visual do pedestre fica livre para observar a profundidade do lote e a construção do Casarão. A intenção desta proposta é valorizar essa qualidade paisagística, preservando o caráter dos troncos e da sombra com acréscimo de nova vegetação rasteira e a construção de uma pérgola alta. Desta forma, o jardim passa a ser a entrada principal, o elemento de conexão entre as edificações e a rua com os vazios do entorno, o parque Mario Covas e o lote de fundo, cuja lateral pode se ligar ao jardim do Museu.

 

PARCEIROS

 

setembro/outubro 2014

Arquitetos:

Catherine Otondo – BASE URBANA
Marina Grinover – BASE URBANA
Jorge Pessoa – PESSOA ARQUITETOS
Consultores:

Museografia: Ana Paula Pontes Responsável técnico:Stolarski Pontos Arq. E Design

Projeto de Restauro:Arq. Guilherme Antonio Michelin Responsável técnico:Tropico Brasil Arquit. e Ambiente

Projeto de Fundações:Eng.º. Antonio Carlos Sobral Responsável técnico:Geobrax Engenharia

Projeto de Estruturas:Eng.º. Mauricio Oliva de Farias Responsável técnico: Stec do Brasil

Projeto de Instalações Hidráulicas e Bombeiros:Engº Jose Domingos Scervino Responsável técnico:Illuminare Engenharia de Projetos

Projeto de instalações elétricas, logica e telefonia:Engª. Elaine Cristina da Silva Almeida Responsável técnico:Articular Projetos e Cons. Ltda

Planilhas orçamentárias:Engª Luiza Lacerda Zaidan Responsável técnico:Nova Engenharia

equipe:

Florencia Testa
Lívia Marquez
Luísa Fecchio
Matheus Tonelli
Patricia Mieko
Tania Helou
Tiago Testa